Compartilhar

Recife foi destaque em um material publicado pelo portal internacional Rest of World como uma das seis cidades do mundo que lideram a construção do futuro da indústria de TI. Ao lado de Lagos (Nigéria), Bangalor (Índia), Shenzhen (China), Tel Aviv (Israel), Medellín (Colômbia), a capital pernambucana é destacada na publicação pelo papel do hub de tecnologia do Porto Digital, que transformou o Recife em referência no assunto não só no Brasil, mas no mundo. O material aponta que, ao contrário da expansão não planejada do Vale do Silício, o Porto Digital se trata de uma iniciativa planejada, administrada pelo Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), formado pelo governo local, universidades e empresas em 2000. É a esse grupo que cabe a missão de trazer alunos qualificados, conectar empresas com cadeias de abastecimento locais e lançar startups para investidores.

“O futuro de Recife está em seu passado. A cidade antiga agora hospeda o Porto Digital, com o porto da era colonial e a sede do jornal local do século 19 (o Diario de Pernambuco) entre os 80.000 metros quadrados reparados e reformados em escritórios, espaços de co-working e, claro, cafés”, diz o texto assinado por Priscila Bellini.

“O setor de tecnologia e inovação é decisivo para a economia do Recife e do mundo. Felizmente, o Recife tem a oportunidade de abrigar um dos principais pólos tecnológicos e de inovação da América Latina, o Porto Digital, que emprega cerca de 20 mil pessoas”,  ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Rafael Dubeux.

“Esse ecossistema proporcionou dinamismo à economia da cidade, registrando um crescimento robusto mesmo em plena pandemia. Sob a liderança do prefeito João Campos, o processo de transformação digital dos serviços públicos da cidade e da economia vai poder contar com um parceiro importante”. O secretário ainda destacou que o Recife é a capital brasileira, proporcionalmente, com maior quantitativo de estudantes em tecnologia, com 357 alunos por 100 mil habitantes. 

“A Prefeitura do Recife está empenhada em estimular que os setores da nossa economia, como os da Saúde, da Construção Civil e da Engenharia, por exemplo, também promovam um processo de transformação digital, com o apoio das empresas incubadas no Porto Digital, incorporando inúmeras tecnologias para fazer negócios e expandir serviços”, completou.

Rafael Dubeux ressalta que a Prefeitura também está empenhada e iniciou uma série de ações para estimular a tecnologia e inovação na cidade. Para tanto, ele realça que a gente está investindo em formação de mão de obra e apoio técnico especializado para o setor, está atualizando o regime tributário do município de modo diferenciado, criando um ambiente de estímulo à criatividade, elaborando políticas públicas favoráveis à inovação e tradição empreendedora, tudo se soma para formar o Porto Digital.

Desde 2019, o Porto Digital gera, anualmente, US$ 430 milhões em receitas. A publicação do portal salienta ainda que o trabalho realizado pelo NGPD vem transformando a área histórica do Recife, levando escritórios, espaços de coworking e empresas para o local, gerando emprego e renda para a cidade. Em 2020, em plena pandemia da covid-19, o hub de tecnologia e inovação genuinamente pernambucano registrou crescimento de 21,7% no faturamento, gerando receita de R$ 2,86 bilhões em negócios. No ano passado, o parque tecnológico empregava mais de 13,7 mil profissionais e 349 empresas no ambiente.

Além do Recife, foram destaque as cidades de Lagos, na Nigéria; Bangalore, na Índia; Shenzen, na China; Tel Aviiv, em Israel; e Medellin, na Colômbia.

Fonte: Diário de Pernambuco

×